É um flagelo entre marketeers, um CTA não converter acaba por ser um grande drama. Um CTA é mais do que um “Ver mais” ou “Comprar agora” e hoje trazemo-vos exemplos daquilo que poderão estar a fazer mal, dicas para criarem CTAs eficientes para o vosso website, landing page ou newsletter, assim como alguns exemplos de marcas que já o fazem.

O que é um CTA?

Se aqui estão, o mais provável é já saberem o que é um CTA. Mas, pelo sim, pelo não, CTA significa​ Call To Action e é o termo utilizado no marketing para referir palavras que incitam o leitor a tomar determinada ação. Apesar de (normalmente) ser uma parte pequena da página, o CTA é muito importante. É o último elemento que o leitor vê antes de decidir se vai ou não avançar para o passo seguinte do seu percurso no vosso website, aka, o passo que vocês querem que ele dê.

Erros comuns no que toca a CTAs

Um número de conversões mais baixo que o ideal não significa necessariamente que o CTA está mal feito. Mas, só para ter a certeza, verifiquem se não estão a cometer nenhum destes erros:

  1. O vosso CTA não se destaca do resto do conteúdo

    Se o leitor não consegue ver como dar o passo seguinte, o mais provável é que não o dê. Seja porque o CTA é demasiado pequeno, está demasiado ​abaixo ​na página, tem apenas texto ou as suas cores não sobressaem. Garantam que o leitor consegue identificá-lo e toma a ação que vocês pretendem que ele faça.
  2. O vosso CTA não é explícito o suficiente ou não reflete um benefício

    As pessoas andam sempre apressadas e nem sempre têm tempo para ler uma página inteira, por isso CTAs como “Submeter”, “Encomendar”, “Ver mais” ou “Comprar” são demasiado vagos. Sejam específicos relativamente àquilo o leitor vai fazer ao clicar no CTA. “Submeter (a minha) candidatura”, “Encomendar o bilhete”, “Ver mais casos de estudo”, “Comprar livro”, “Agendar uma​ live demo​ ”, “Receber dicas de ​ fitness​ grátis”: estes são mais específicos e mostram às pessoas o que realmente irão receber ao clicar!
  3. O vosso CTA não é apelativo

    Se o vosso CTA não se destacar em comparação ao resto da página, ​you’re not doing it right​. Há muitas formas de fazer o CTA sobressair e torná-lo apelativo. Jogar com a cor, com o tipo e tamanho de letra e a mensagem são algumas delas. Devemos olhar para todo o layout da página onde vamos inserir o nosso CTA e fazer as nossas escolhas a partir daí. Testes A/B são uma ótima ferramenta para perceber o que prende mais a atenção do nosso target e o que melhor funciona para aumentar a taxa de cliques.
  4. A vossa página tem demasiados CTAs

    Alguns websites têm tantos CTAs que o leitor nem sabe para onde se há de virar… o que normalmente resulta num “Fechar janela”. Um ou dois CTAs é o ideal, por isso tentem limitar-se a esses números.

Então, que dicas posso seguir para fazer com que os meus CTAs convertam?

  1. Brinquem com as cores

    Vejam este exemplo do website da ​OptinMonster​: o botão “Get started” é amarelo, o que faz com que se destaque, enquanto o “I have a few questions first” é da mesma cor que o fundo… dá mais vontade de clicar no primeiro, não é? OptinMonster popup
  2. Garantam que o CTA é consistente com a mensagem que transmitiram antes

    Isto está diretamente relacionado com algo que já mencionamos, acerca de se ser claro e descritivo. Vejam este artigo do blog da HubSpot, por exemplo: é um artigo sobre como escrever artigos viciantes e no final vê-se este CTA, que encoraja o leitor a fazer o download do ebook grátis sobre marketing de conteúdos, depois de se ter lido um artigo inteiro sobre o assunto. Consistente e direto. free ebook download cta
  3. Saibam onde colocar o CTA

    De uma forma geral, podemos colocar o nosso CTA “above” ou “below the fold”. E antes de passarmos para o resto, deixamos uma breve explicação do que significa colocar o CTA “above the fold” e “below the fold”. Colocar o CTA Above the fold, significa colocar no espaço superior da página, onde não precisamos de fazer scroll para encontrar o CTA. Below the fold é quando temos de fazer scroll para encontrar o CTA. Nestes casos o CTA está geralmente na parte final da página. Colocar o CTA ​ above the fold é a opção mais comum, mas a verdade é que fazer scroll também se tem tornado padrão e pedir aos leitores para fazer algo assim que entram na página pode não ser ideal. Colocar o CTA demasiado em baixo na página​ não costuma ser visto com bons olhos, mas também pode ser uma boa opção. Tudo depende do contexto em que o CTA se insere. Abaixo, deixamos quatro maneiras de dar a volta à situação:
    • Ter um CTA que segue o utilizador à medida que este faz ​ scroll (sempre com a opção de fechar)​, pode tornar-se algo chato para quem não está interessado. Mas também pode ser um bom lembrete para aqueles que ainda se estão a decidir quanto a tomar ou não a ação que nós pretendemos que tomem. Ter o CTA a “segui-lo” pode ser uma boa estratégia, em vez de fazer com que o usuário tenha de viajar pela página para encontrar seu CTA.
    • Popups. São maioritariamente utilizadas para subscrições a newsletters. Mas este é um formato com poucos fãs, pois torna-se intrusivo porque interrompe a experiência do utilizador e já a maioria dos browsers tem integrados bloqueadores de popups. A nossa sugestão seria um popup de intenção de saída. Estas popups aparecem apenas quando o cursor abandona o espaço de navegação em direção ao botão de fechar a página. Quando o utilizador está concentrado no conteúdo, pode não reparar no nosso CTA e esta é uma forma de o chamar à atenção sem ser intrusivo.
    • Ter um CTA na barra superior, que está sempre visível.
    • Optar pelo método de ter o CTA above the fold em páginas curtas e simples e ​below the fold em páginas longas e mais complexas.

Mas nada funciona tão bem como testar. O maior truque que podemos dar é mesmo testar, testar, testar. E o bom no digital é que podemos testar (quase) tudo! A cor, o tamanho, as letras, as imagens, a posição no website, todas estas são variáveis testáveis.