O que é o Marketing de Influência?

O termo “Marketing de Influência”, ou Influencer Marketing, não é exatamente novo, mas com a explosão de estrelas da Internet e do poder das redes sociais, tornou-se numa palavra-chave para qualquer marca com uma presença digital.

O nome é bastante autoexplicativo: o recurso a influencers por parte de marcas para a sua estratégia de marketing digital. A definição de influencer, por outro lado, pode ser um pouco mais… subjetiva. O Influencer Marketing Hub define um influencer como um indivíduo com poder para afetar as decisões de compra de terceiros em virtude da sua autoridade, conhecimento, posição or relação com a sua audiência; um indivíduo com um grupo de seguidores em determinado nicho (sendo que o tamanho do primeiro depende do tamanho do segundo), com quem interage ativamente.

A parte subjetiva surge quando percebemos que o influencer ideal varia muito de marca para marca. O influencer certo para a minha marca pode ser alguém que em nada irá ajudar a vossa marca. Por isso, é essencial conhecerem bem a vossa marca, assim como o vosso público-alvo, antes de optarem por este ou aquele influencer.

Antes de escolherem o vosso influencer…

… façam o vosso trabalho de casa:

  • Conheçam bem o vosso target.
  • Estabeleçam os objetivos que querem atingir com o recurso a um influencer.

A importância de conhecerem o vosso target

O grande “segredo” do marketing de influência é conseguir escolher alguém relevante para o vosso público-alvo, ao ponto de conseguirem influenciar a sua decisão de compra, e isto só irá acontecer se tiverem bem definido quem este grupo de pessoas é, quais são as suas características demográficas, quais são os seus interesses e hobbies e em que plataformas estão presentes.

Assim como os vossos objetivos

O que é que pretendem atingir com este tipo de marketing? Vender, criar engagement, trabalhar a notoriedade da marca, aumentar a vossa audiência são alguns objetivos comuns das marcas e saber qual é o vosso é importante, não só para estabelecerem a estratégia em si, como para, posteriormente, poderem avaliar os resultados da mesma e perceber se foi um sucesso ou não.

Dos and don’ts na escolha de um influencer

✔️Dêem liberdade criativa ao(s) influenciador(es) que escolherem: esta(s) pessoa(s) conhece(m) o vosso target, sabe(m) como falar com este grupo de pessoas e aquilo que funciona, ou não, com o mesmo.

❌Não foquem a atenção apenas no tamanho do grupo de seguidores do(s) influenciador(es) que estão a considerar. “Esta pessoa tem 6 ou 7 dígitos no contador de seguidores do Instagram” não é sinónimo de “Esta pessoa é o influenciador certo para a minha marca”.

✔️Analisem os resultados da estratégia. Mesmo com todo o trabalho de casa feito, pode acontecer optarem por alguém que acaba por não trazer grandes mais-valias para a vossa marca. Através de KPIs como o alcance, as interações, o tráfego de referência e as conversões vão conseguir perceber se a vossa abordagem está a funcionar ou não.

❌Não ignorem a lei. No Instagram, por exemplo, há a opção de declarar que determinada publicação inclui uma parceria paga. Esta funcionalidade foi criada no ano passado precisamente para evitar a falta de transparência para com os seguidores. Por isso, façam sempre alguma pesquisa sobre a plataforma – ou plataformas – que vão usar na vossa parceria. Ah, e nunca assumam que o influencer com quem vão trabalhar está a par das regras. Antes prevenir do que remediar!

✔️Recompensem o(s) influenciador(es) escolhido(s); tem de ser uma situação de win-win. Algumas recompensas comummente usadas:

  • Compensação monetária:
    • Pay-per-cost: determinado valor por publicação.
    • Pay-per-click: determinado valor por cada clique num link definido pela marca.
    • Cost-per-acquisition: determinado valor por cada novo cliente.
  • Produtos/serviços.
  • Feature no vosso conteúdo.

❌Não façam a vossa escolha sem fazer uma pesquisa sobre a pessoa. Verifiquem publicações passadas, se a pessoa esteve envolvida em alguma polémica e se é alguém a quem faz sentido se associarem.

Em breve publicaremos a parte II deste guia, sobre alguns dos tipos de influenciadores entre os quais as marcas podem escolher. Stay tuned!