O e-mail foi das primeiras ferramentas a surgir na comunicação digital. Até antes da internet. Sim, da internet. O e-mail surgiu 20 anos antes da internet, em 1971. E a primeira ação de e-mail marketing aconteceu sete anos depois. Surpreendente, não é?

Nos dias de hoje, apesar de o e-mail já não ser uma novidade na forma como as pessoas comunicam, como é o caso de determinadas novas redes sociais que vão surgindo ao longo dos anos, este ainda é um dos meios mais utilizados no contacto entre empresa-clientes.

E porquê, perguntam-se. Pois as estatísticas falam por si. Segundo dados da Statista, em 2017 havia 3,7 biliões de utilizadores de e-mail, número esse que se espera que suba para 4,3 biliões em 2022. Estes dados provam que o e-mail continua a ser das plataformas mais utilizadas e isso acontece porque quase todas as nossas ações na internet precisam ser acompanhadas por uma conta de e-mail. Claro que podemos ver notícias, passear por lojas online, ver vídeos e até criar uma conta numa rede social sem um e-mail, mas caso queiramos, por exemplo, efetuar uma compra em determinado site, receber notícias daquela marca que gostamos muito, entre outras tantas ações que se tornaram bastante comuns, geralmente precisamos de ter uma conta de e-mail para nos autenticarmos.

Ainda a navegar em estatísticas, segundo a mesma fonte, em 2017 foram trocados 269 biliões de e-mails diariamente e há uma expectativa de aumento desse número para os 333 biliões de e-mails diários em 2022. Agora que já sabemos a história do e-mail marketing e pudemos perceber a dimensão do e-mail, damos ainda mais 6 motivos para utilizar esta ferramenta.

Conquista pela sua eficácia

É das ferramentas mais eficazes. Não existiria tanto spam se quem o envia não considerasse o e-mail uma boa forma de comunicação. Provavelmente estas pessoas iriam procurar outras melhores fontes de rendimento. Mas, claro que o envio de e-mails em massa e sem o consentimento declarado de quem os recebe não é uma boa prática e como tal não a devemos utilizar no nosso negócio.

É o meio preferido para divulgação de marca

Continua, ao contrário do que muitos pensam, a ser o meio preferido dos clientes para comunicar com as marcas e vice-versa. Segundo um estudo publicado no site da Marketing Charts  50% das pessoas inquiridas preferem o e-mail para comunicar com as marcas ao invés de, por exemplo redes sociais e sms, que detêm apenas 7% de preferência.

Pode automatizar o e-mail marketing

Os e-mails podem ser automatizados. Bons exemplos de e-mails automáticos são os e-mails de confirmação de subscrição, boas vindas, abandono de carrinho (no caso de marcas de e-commerce), entre outros. Esta ferramenta de e-mail marketing é uma grande mais valia porque poupa tempo às marcas, principalmente quando a sua lista de contactos já tem uma grande dimensão e se torna (praticamente) impossível fazer toda a comunicação manualmente.

Permite personalizar e segmentar

Outra (grande) vantagem é a personalização e segmentação. Quem não gosta de receber um e-mail em que, no assunto, somos tratados pelo nosso nome? Ou onde é percetível essa mesma personalização, no conteúdo da mensagem quando se baseiam no nosso comportamento no site da marca e nos enviam sugestões de conteúdos relacionados e que possam ser interessantes para nós, clientes. Também podemos segmentar os nossos e-mails por faixas etárias, género, interesses e tantos outros dados que nos tiverem sido previamente concedidos pelos nossos clientes.

Pode ser medido e testado

É uma ferramenta na qual podemos medir resultados como as taxas de entrega, abertura, cliques, e também a taxa de subscrições anuladas. Também conseguimos testar toda a composição do e-mail, desde header, copy, subheader, e disposição dos vários elementos que o podem compor de forma a garantir melhores resultados e chegar mais perto daquilo que os nossos clientes procuram.

Regista uma elevada taxa de ROI

Por último, o retorno em investimento. O e-mail marketing é das ferramentas que gera um maior ROI na internet. Segundo dados da SalesForce, o ROI em e-mail marketing ronda os 3800%, o que significa que por cada €1 investido em e-mail marketing, há um retorno de cerca de €38.

Concluindo, o e-mail deve ser visto como uma ferramenta válida para a nossa estratégia de marketing digital. Contudo, não deve ser visto como algo independente de tudo o resto, mas sim como uma ferramenta que complementa as outras. E por falar em estratégia, esse vai ser o próximo ponto no qual nos iremos focar brevemente. Estejam atentos!

Fontes:
https://www.marketingcharts.com/charts/effective-channels-marketing-content-prospective-customers/attachment/ascend2-most-effective-channels-for-marketing-content-sept2018
https://www.marketingcharts.com/charts/preferred-method-brand-communications/attachment/adobe-preferred-method-brand-communication-aug2018
https://www.oberlo.com/blog/email-marketing-statistics
https://www.leightoninteractive.com/blog/2018-most-insightful-email-marketing-statistics
https://resultadosdigitais.com.br/blog/por-que-fazer-email-marketing/
https://resultadosdigitais.com.br/email-marketing/
https://www.inc.com/peter-roesler/top-5-reasons-why-email-marketing-is-still-works.html
NOVAIS DE PAULA, André et al. (2018). Marketing digital para Empresas. Capítulo 5. 1ª edição, Perfil criativo. Lisboa.