Torna-se cada vez mais importante desenhar aplicações móveis multiplataforma, mas a verdade é que nem sempre é fácil entender e gerir a execução das duas plataformas – iOS e Android – separadas.

Devemos considerar que, apesar dos diferentes sistemas operativos, a aplicação deve manter o mesmo “look and feel” e permitir ao utilizadores executar as mesmas tarefas sem comprometer os padrões nativos de cada uma das plataformas.

No entanto, há muitos designers que se vêem confrontados com a questão: devemos respeitar as diretrizes de cada plataforma ou devemos focar-nos na experiência do utilizador, colocando as diretrizes de lado?

Pois bem, não há uma resposta simples para esta questão, uma vez que as plataformas são bastante diferentes tanto ao nível de hardware como de software, assim como as expectativas do utilizador.

E se adicionarmos a isto todas as variações que existem dentro das próprias plataformas… a tarefa torna-se ainda mais complexa.

Então devemos ou não seguir as diretrizes das plataformas?

Na nossa opinião, por muito boas que sejam as diretrizes, devemos tentar ajustar e fornecer a melhor experiência ao utilizador, mesmo que isto implique abdicar de algumas diretrizes, ou seja, devemos olhar para elas como um ponto de partida para o processo de design da nossa aplicação, acrescentando assim valor ao nosso produto, ao invés de o limitar.

Mas, claro, há exceções: momentos em que a melhor opção é utilizar uma solução única em ambas, mesmo que essa decisão vá contra as diretrizes estabelecidas para uma ou ambas as plataformas; ou momentos em que utilizar as recomendações fornecidas pelas marcas traz grandes vantagens, pelo simples facto de que o utilizador irá reconhecer o padrão de comportamento, e assim encontrar as funcionalidades de uma forma mais rápida e clara.

Como tal, é muito importante que os designers de aplicações móveis considerem que o iOS e o Android têm diferentes padrões nativos quando se trata de padrões de navegação e transições de ecrã, e estejam cientes dos padrões de navegação das duas plataformas. A nossa sugestão é que consultem as Human Interface Guidelines iOS e as Guidelines do material design.

Por exemplo, os utilizadores de Android estão habituados a determinados padrões de navegação e interface. A maioria das aplicações mantém a experiência do utilizador consistente com os padrões de interface de utilizador do Android. A navegação do iOS geralmente usa uma barra inferior (toolbar) para navegar por toda a aplicação.

Já para os utilizadores de Android, este tipo de navegação é incoerente com a linguagem de design padrão usada em Android e, como tal, pode provocar frustração aos utilizadores. Para evitar este tipo de frustrações, alguns designers optam por apresentar soluções de navegação padrão no Android, como podemos ver no exemplo abaixo (imagem da esquerda) da aplicação do YouTube, em que a navegação é feita através de um menu na parte superior do ecrã (action bar tabs), como é habitual em Android.

app youtube

Ainda assim há muitas empresas, como o Instagram, que optam por descurar os padrões de Android e aplicar a mesmo tipo de navegação em ambas as plataformas.

app instagram

A mensagem que pretendemos passar é que cada aplicação é um caso diferente e o nosso objetivo enquanto designers é tentar ir ao encontro das necessidades do utilizador, oferecendo a melhor experiência possível, mas não deixando de ter em conta o custo que sacrificarmos alguns padrões poderá ter.

Certamente que já enfrentaram problemas semelhantes. Como é que os abordaram?